Notícias

30/05/2018

Optar pelo seguro garantia pode reduzir dores de cabeça em contratos

Descumprimento de acordos por prestadores de serviços assegurados de forma segura e econômica

Com menos burocracia, o seguro garantia tem oferecido à grandes e médias empresas uma forma mais segura e econômica de assegurar o descumprimento de contratos por prestadores de serviços. O gerente de contas da Tailor Insurance, Antoine Maleh, classifica o papel da seguradora como de “fiador” de um contrato. Caso o contratante deixe de cumprir com suas obrigações contratuais, a seguradora garante indenizações ao segurado (beneficiário da apólice), respeitando limites ou valores fixados na apólice.

Quem busca esse serviço deve estar preparado para comprovar a saúde financeira da empresa. Somente após essa análise que a seguradora poderá definir qual limite será disponibilizado ao contratante.

Maleh explica que o processo é semelhante ao pedido de crédito em banco. “É preciso apresentar provas consistentes das condições e garantias de pagar por isso, além de informações financeiras, extrato de conta, imposto de renda, e outros. Na maioria das vezes, empresas sem faturamento, que não possuem ativos ou estão passando por dificuldades financeiras, é normal que estes não consigam a aprovação de 100% do limite necessário”, explica.

Por isso, não é possível definir com exatidão qual o custo de um seguro garantia, que depende sempre da saúde financeira do tomador (empresa ou pessoa física que contrata a apólice).

Enquanto o seguro de automóveis tem os prejuízos do sinistro absorvidos pela seguradora, nos contratos de garantia sempre são cobrados os contratantes. Isso é feito através de um contrato acessório no momento de contratação, chamado de Contrato de Contra Garantia (CCG). “Se o tomador não ressarcir a seguradora pelas indenizações destes sinistros, ela poderá executar o CCG e apropriar-se de bens e ativos do tomador até reaver o valor devido”, ressalta o executivo.

Tanto pessoas físicas quanto jurídicas podem fazer uso do seguro garantia, além de instituições públicas. A única restrição fica vinculada apenas à saúde financeira dos requerentes.

Para as empresas, essa é a melhor forma de evitar um desembolso de capital inesperado, além de tornar mais viável a fomentação de novos contratos, uma vez que o seguro garantia favorece a preservação de caixa e capital de giro.

Os benefícios do seguro garantia

O principal benefício apontado pelas empresas a respeito do seguro garantia é, precisamente, o baixo valor comparado a carta fiança ou a caução em dinheiro. No entanto, o valor que deve ser pago não é a única vantagem desse serviço. Seguindo o caminho contrário das cartas de fiança, o seguro garantia tem um prazo que acompanha a vigência do contrato. Ou seja, você tem um valor pré-definido por um maior tempo, diminuindo o trabalho de renegociações neste período.

Ao optar por uma fiança, ao invés do seguro garantia, o gasto pode ser muito maior. Isso acontece porque, além de toda a burocracia, os bancos exigem uma conta de salários, recolhimento de impostos e aplicações. Isso deixa o valor final da fiança bancária muito elevado em comparação ao valor do seguro garantia. Além disso, o seguro não traz danos negativos ao balanço das empresas, enquanto os valores de fiança são abatidos do limite que é concedido pelo banco.

Fonte: JRS Comunicação

Compartilhe:


VOLTAR

Clique no sino ao lado e receba pushs com notícias jurídicas em seu Desktop e Mobile Android.